sexta-feira, 5 de agosto de 2016

"Se for amor amem, se for tesão também!"





"Beijo na mão, estalo na cara, andar de mãos dadas, puxão de cabelo, beijo na testa, palavrão, apelido carinhoso, mordida na boca, na língua, no ombro… Assim poderíamos
resumir toda a boa relação. Não, este não é o momento de confundir tesão com sexismo e
me acusarem de ser um ogre e virem com toda aquela conversa chata para a qual não tenho a menor paciência. Ao invés disso, vem cá, pega uma cerveja, puxa uma cadeira e
vamos conversar.
Não há nada mais idiota do que tentar polarizar a experiência afetiva. A gente faz amor, a gente transa, a gente come, a gente é comido, e só assim temos a possibilidade de sermos imensamente felizes, nem que seja por um momento ou dois. Não somos menos humanos por isso, nem somos melhores ou piores, essa mania de pôr regras em tudo o que se pode e o que não se pode fazer é coisa de gente mesquinha. Tudo o que se passa na cama depende de timing, de desejo, de disposição, não de regras – e vejam só que irónico, o mesmo vale para a relação amorosa fora dela.
Eu, particularmente, acredito na nudez, acredito no corpo, o que não significa superficialidade e descaso com os sentimentos. Acredito no corpo porque é nele que os sentimentos habitam, é através dele que se manifestam.
Essa divisão entre amor e sexo é no mínimo desmotivante, o tipo de coisa que só intelectualzinho frustrado e zen-budista-xamã-transcendental tem prazer em fazer. Pura masturbação mental (ou metafísica, no caso do segundo tipo).
Tanta coisa para fazer, tantas partes do corpo para experimentar com a língua, com os dedos, com as mãos, e há gente que ainda prefere perder tempo a preocupar-se em discutir o que fica bem e o que não fica do que sentir e fazer o que tem vontade. Sexo não é política, porra!
Talvez o segredo esteja em encarar cada gemido com a mesma intensidade que encaramos um elogio fofo. Sou capaz de trocar qualquer “lindinho” por uma palavra obscena sussurrada ao ouvido.
Cá entre nós, se existe um território neutro em toda essa guerra de instinto contra sentimento, esse lugar é a cama. Lá os tratados de paz são selados com suor, com saliva e pele. É lá que se faz trégua, que alianças são feitas, que sentenças são dadas. Lá qualquer conflito acaba quando os corpos entram em atrito.
Dois lados de uma mesma moeda, duas notas de uma mesma melodia. Em vez de ficares preocupado(a) a pensar se ele(a) só quer ir para a cama contigo, quando é isso que tu também queres de alguma maneira, pensa que se for amor, amém; se for tesão, também. Afinal, o corpo (e o coração que está dentro dele) é de quem?"
Texto de Jocê Rodrigues

terça-feira, 12 de janeiro de 2016

Let's Dance

Let's dance
Put on your red shoes and dance the blues
Let's dance
To the song they're playin' on the radio

Let's sway
While colour lights up your face
Let's sway
Sway through the crowd to an empty space

CHORUS:
If you say run, I'll run with you
If you say hide, we'll hide
Because my love for you
Would break my heart in two
If you should fall
Into my arms
And tremble like a flower

Let's dance

Let's dance
For fear your grace should fall
Let's dance
For fear tonight is all

Let's sway
You could look into my eyes
Let's sway
Under the moonlight, this serious moonlight

CHORUS:

And If you say run, I'll run with you
And If you say hide, we'll hide
Because my love for you
Would break my heart in two
If you should fall
Into my arms
And tremble like a flower

Let's dance
Put on your red shoes and dance the blues
Let's sway
Under the moonlight, this serious moonlight

Let's sway
Let's dance

sábado, 28 de fevereiro de 2015

if you don't know me by now




If you don't know me by now
You will never never never know me

All the things, that we've been through
You should understand me like I understand you
Now girl I know the difference between right and wrong
I ain't gonna do nothing to break up our happy home
Don't get so excited when I come home a little late at night
'Cause we only act like children when we argue fuss and fight

If you don't know me by now (If you don't know me)
You will never never never know me (No you won't)
If you don't know by now
You will never never never know me

We've all got our funny moods
I've got mine, woman you've got yours too
Just trust in me like I trust in you
As long as we've been together it should be so easy to do
Just get yourself together or we might as well say goodbye
What good is a love affair when we can't see eye to eye

If you don't know me by now (If you don't know me)
You will never never never know me (No you won't)

segunda-feira, 9 de fevereiro de 2015

Existem dias


"Existem dias que gostava de voltar a ser criança, uma menina de seis anos que caiu da bicicleta.
Gostava de voltar a fazer cara de choro e correr aos berros para a cozinha, onde minha mãe me ergueria do chão, me daria um forte abraço e beijaria o meu joelho esfolado. Eu ia parar de chorar e tomaria leite com pepitas de chocolate para a dor passar.
Essa é uma das coisas que as pessoas não nos ensinam quando falam de crescer...
Como lidar com as dores que não passam com um beijo..."
Joana Miranda


domingo, 8 de fevereiro de 2015

Quando te sentires perdido

"Quando te sentires perdido, confuso, pensa nas árvores, lembra-te da forma como crescem. Lembra-te de que uma árvore com muita ramagem e poucas raízes é derrubada à primeira rajada de vento, e de que a linfa custa a correr numa árvore com muitas raízes e pouca ramagem. As raízes e os ramos devem crescer de igual modo, deves estar nas coisas e estar sobre as coisas, só assim poderás dar sombra e abrigo, só assim, na estação apropriada, poderás cobrir-te de flores e de frutos."
...
"E quando à tua frente se abrirem muitas estradas e não souberes a que hás-de escolher, não metas por uma ao acaso, senta-te e espera. Respira com a mesma profundidade confiante com que respiraste no dia em que vieste ao mundo, e sem deixares que te distraia, espera e volta a esperar. Fica quieto, em silêncio, e ouve o teu coração. Quando ele te falar, levanta-te, e vai para onde ele te levar.”
Susanna Tamaro
Vai aonde te leva o coração

terça-feira, 3 de fevereiro de 2015

quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

There is...

“There is a point of no return”

segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

sexta-feira, 23 de janeiro de 2015

Chuva









"São emoções que dão vida
à saudade que trago
Aquelas que tive contigo
e acabei por perder
Há dias que marcam a alma
e a vida da gente
e aquele em que tu me deixaste
não posso esquecer"

quinta-feira, 22 de janeiro de 2015

Pormenores que me amarram a TI...


quarta-feira, 21 de janeiro de 2015

Se vieres hoje

"Se Vieres hoje prometo que te faço sentir de novo.
Sorrir de novo."

terça-feira, 20 de janeiro de 2015

terça-feira, 6 de janeiro de 2015

quinta-feira, 11 de dezembro de 2014

quarta-feira, 10 de dezembro de 2014

terça-feira, 9 de dezembro de 2014

segunda-feira, 24 de novembro de 2014